Como não ser um aluno medíocre?

É verdade que nos acostumamos com as coisas boas e as ruins.
Ao longo dos anos, o nível de exigência no sistema educacional vem baixando significativamente. Está sendo um processo lento e isso favoreceu a não resistência de pessoas preocupadas com a efetiva aprendizagem dos alunos.

Irei contar 3 causos.

1º CAUSO
O aluno apresentou seu projeto em grupo. Depois do término da aula se sentou ao meu lado para saber minha opinião sincera.
Quando um aluno pede minha opinião sincera, eu explico que há 3 níveis de opinião: 1. Da professora complacente. 2. Da professora rígida. 3. Da profissional implacável. 
De acordo com a ‘professora complacente’, eu disse que o projeto estava bom.
Quando ele disse que iria apresentar ao cliente, virei a ‘professora rígida’ e pedi que fizesse algumas melhorias no projeto e para deixá-lo tranquilo, disse que daria permissão para apresentar ao cliente somente quando o projeto estivesse bom.
Neste momento o rapaz disse: “eu não quero o bom, quero o excelente”.
Essa frase ecoa em minha mente todos os dias, pois eu deveria escuta-la de todos os meus alunos, mas escutei de apenas um no meio de 4 centenas de semelhantes.

2º CAUSO
Outro aluno, por pensamentos divergentes em seu grupo na elaboração do projeto, esperou a aula terminar e todos os alunos irem embora e me perguntou: “Professora, sou eu que estou muito avançado, ou meus colegas que estão muito atrasados?”
A 'professora complacente', buscando apaziguar os ânimos, respondeu que era um pouco de cada. Mas na realidade, aquele rapaz está em busca da excelência, enquanto seu grupo, ou sua turma, só pensa em cumprir a tarefa, pois sabe que a 'prof complacente' vai dar a nota almejada.

3º CAUSO
Todo semestre armazeno os projetos que geraram notas para meus alunos, mas de tempo em tempo é necessário eliminar os projetos, para que tenha espaço para os novos. Este processo não me deixa confortável, pois tenho que eliminar projetos que foram resultado de (muitas vezes) esforço de meus alunos. Quando chega este momento, sempre seleciono os melhores, para guarda-los como referência para os próximos alunos.
Nos últimos tempos, não tenho retido nenhum. Muito triste perceber que os jovens não buscam mais a excelência.

Para reflexão, deixo uma fala de Mário Sérgio Cortella: “Capricho é fazer o teu melhor, na condição que você tem, enquanto você não tem condições melhores, para fazer melhor ainda. Uma pessoa medíocre é aquela que podendo fazer o melhor, se contenta com o possível. Mediocridade é falta de capricho.” 

Como não ser um aluno medíocre?
- Não se acomode na lei do menor esforço.
- Nunca tenha como objetivo a nota.
- Que sua aprendizagem seja seu objetivo.
- Não se nivele por baixo - você pode estar entre acomodados.
- Você pode fazer muito mais do que está fazendo.
- O professor pediu para ler um capítulo de um livro? Leia o livro todo.
- O professor pediu para fazer um desenho? Faça 5.
- O professor pediu para fazer uma pesquisa? Vá até o cerne do assunto.
- Seja caprichoso sempre.
- Se esforce para fazer sempre o teu melhor. E se o resultado não é o teu melhor, faça novamente. 

O aprendizado é uma ferramenta para toda vida, a nota é passageira. Você tem um potencial muito maior do que qualquer nota 10.



Ilustração de Weberson Santiago: http://quanta-conversa.blogspot.com.br/2012/10/cursos-de-ferias-janeiro-2013.html


Deixe seu comentário ou dúvidas. 

Comentários