A tecnologia vai transformar sua aula chata em legal


É inegável a importância da tecnologia nos processos educacionais.
Poucas semanas atrás tivemos uma grande feira sobre educação em São Paulo. Quase sua totalidade, era formada de stands de empresas vendendo fórmulas e moldes tecnológicos para transformar sua aula em um show de diversão e entretenimento.
Cito algumas ferramentas bem úteis e atrativas:
- Tecnologias ludopedagógicas
- Softwares educativos
- Lousa digital
- Cultura Maker
- Gamificação
- Quizz
- Robótica
- Inteligência artificial
- Internet das coisas
- Aplicativos
- Impressora 3D
- Laboratório de Informática
- Vídeos no YouTube
- Jogos educativos

Não posso deixar de citar algumas Metodologias Ativas que viraram moda:
- Sala de Aula Invertida
- Ensino Híbrido
- Aprendizagem por Projetos
- Aprendizagem Baseada em Problemas
- Estudo de caso
- Aprendizagem em pares ou times

Tudo isso é muito lindo, o problema é COMO e PORQUE vem sendo difundido e usado. Sem contar que somente algumas dessas ferramentas ou metodologias solucionam ou contribuem para a melhoria dos reais problemas da educação atual. Cito alguns problemas de base:
- Formação precária e tradicional de professores
- Professores detentores do saber
- Foco no que o professor ensina ('ensinagem')
- Desprezo dos processos de aprendizagem
- Aulas expositivas
- Alunos receptores passivos
- Saberes fragmentados e desconexos
- Educação conteudista
- Ênfase no acumulo dos saberes
- Valorização da memorização
- Repetição para memorização
- Conteúdo padronizado
- Ritmo padronizado
- Avaliação padronizada
- Desprezo da curiosidade do aluno
- Valorização da reprodução
- Sem espaço para criatividade e inovação
- Não trabalha habilidades socioemocionais
- Não desenvolve competências e habilidades

A desumanização da educação gera alunos cada vez mais individualistas, que não sabem trabalhar em equipe, não sabem o que é colaboração ou cooperação, nem troca de saberes, desconhecem habilidades da cultura de paz e da comunicação não violenta. Não sabem pesquisar, pensar 'fora da caixinha', serem inovadores, criar coisas novas ou pensar de forma empreendedora.
Os jovens não sabem muito bem o que é uma Startup, nunca ouviram falar em espaços de coworking, crowdfunding, incubadora, aceleradora, mentoria com propulsores ou investidor anjo. Eles são incapazes de solucionar problemas complexos do mundo real, mas continuam sendo treinados para responder questões múltipla escolha.

Uma professora passa uma dezena de exercícios para o aluno reproduzir e praticar o que ela acabou de ensinar. Adoraria saber qual a real diferença entre esses exercícios estarem no papel ou em um Quizz divertido, com desenhos e musiquinha de fundo? Ahh, fica mais atrativo. Concordo, mas o foco continua sendo a repetição para a memorização.
Então a tecnologia vai transformar uma aula ineficiente e chata em ineficiente e legal?
Ando cansada desses artifícios tecnológicos com cara de modernosos, que somente fazem perpetuar (ou piorar) essa ineficiente 'ensinagem' fragmentada.

Eu acredito nas ferramentas da tecnologia e nas Metodologias Ativas, mas não como elas estão sendo apresentadas.
Enquanto não tratarmos dos reais problemas da educação, perderemos tempo com a cortina de fumaça atrativa e divertida, que hoje se chama: tecnologia.


Fonte da imagem: https://forrestercomputing.wikispaces.com/Digital+and+Computer+Technology

Deixe seu comentário ou dúvidas. 

Comentários

Postar um comentário