O professor Stand Up Comedy

Está cada vez mais difícil prender a atenção dos alunos. Competir com os celulares e as redes sociais não tem sido nada fácil. 

Os alunos não querem mais saber dessa coisa chata que as escolas e universidades se tornaram. Por conta disso, ser um professor divertido e ter aulas que entretém os alunos parece ser uma tendência. Como solução, está em alta algumas fórmulas:
- Aprenda a fazer um Quizz divertido
- Seja um professor Stand Up Comedy
- Gameficação em sala de aula
- 5 passos para montar um PowerPoint animado
... e assim, vamos transformando a aprendizagem - que requer pesquisa, responsabilidade, persistência, esforço, concentração e protagonismo do aluno - em brincadeirinha.
Parece mais fácil maquiar a coisa chata que impõe conteúdos fragmentados goela abaixo, do que transformá-la em projetos do interesse do aluno.  

É feito o menino que consegue andar sem as rodinhas de apoio na bicicleta pela primeira vez. O processo foi doloroso, houve quedas, ralou o joelho, mas ele persistiu, insistiu e seu esforço foi recompensado, as rodinhas foram retiradas.
Transformar a aprendizagem em brincadeirinha, é pintar as rodinhas com tinta mágica de transformá-las ilusoriamente em transparentes e mantê-las no mesmo lugar.

A aprendizagem deve ser encarada como um processo laborioso e o seu resultado deve ser prazeroso, que traga satisfação e felicidade ao aluno. O aluno precisa se enxergar capaz, se alegrar com sua pesquisa e o resultado de sua produção. 

Para refletir, deixo a conclusão do TCC - APRENDIZAGEM POR PROJETOS: uma alternativa à desfragmentação da educação universitária.
Mais do que ampliar a capacidade de memorização do aluno e treiná-lo para escolher a alternativa correta em uma questão de múltipla escolha, a Aprendizagem por Projetos permite que o aluno aprenda a aprender. Esta habilidade está contida no primeiro dos quatro pilares da educação da UNESCO – aprender a conhecer (aprender a aprender), aprender a fazer, aprender a viver com os outros, aprender a ser.
Com a prática do fazer autônomo, os alunos se percebem capazes de desenvolver projetos complexos e se orgulham dos resultados. Eles percebem que o mais importante não é saber uma resposta para tudo, mas saber encontrar os caminhos para solucionar problemas, também ter dúvidas e descobrir ou criar novas respostas, pois percebem que a criatividade está pautada na diversidade.
Os ganhos não são somente intelectuais e acadêmicos, mas para a vida, pois aumenta a autoestima, desenvolve a inteligência emocional, a resiliência, a colaboração, a empatia, a compaixão, o senso de coletivo e de pertencimento, o espírito de liderança, a capacidade de argumentação e de inovar para solucionar problemas de forma criativa.
Encarar problemas complexos, trabalhar sob pressão e caminhar pelo desconhecido, não é mais um bloqueador, mas um desafio possível.¹

1 - CARVALHO, Ana Cristina N. de. APRENDIZAGEM POR PROJETOS: uma alternativa à desfragmentação da educação universitária. Trabalho de Conclusão de Curso – MBA em Gestão de Projetos - Centro Universitário Estácio de São Paulo, 2018

Fonte da imagem: https://br.pinterest.com/pin/697987642218507581/

Deixe seu comentário ou dúvidas. ⬇

Comentários

  1. Odeio esse tipo de prática pedagógica, paródias de músicas péssimas, uso de jogos e brincadeiras que suprimem raciocínio etc. Adorei o texto.

    ResponderExcluir
  2. Quando um aluno aprende com prazer, ele se sente capaz de tudo, e ele é capaz.! A maquiagem pode até dar uma estimulada, mas não é suficiente, mas a mágica por trás dela pode fazer com que a curiosidade do "saber" atice a mente deste aprendiz. E acredito que você com uma EDUCADORA dedicada esteja fazendo essa mágica acontecer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sabe que a palavrinha mágica é 'provocação'. Obrigada por seu comentário, minha amiga.

      Excluir

Postar um comentário