Por mais alunos indisciplinados

A Princesa Merida foi educada com muita disciplina, para seguir um padrão e ter certos comportamentos. Apesar de tanto rigor, ela era determinada, persistente e tinha um foco muito claro: ser a melhora arqueira, para assim conquistar sua mão e a liberdade.
Filme: VALENTE
Merida não foi apenas uma mocinha que desobedeceu sua mãe, ela queria romper com o sistema e para isso buscou a excelência.
Almejo mais alunos “Meridas”, que por intermédio da excelência, lutem contra um sistema educacional que aprisiona, controla e limita.
Ser uma criança ou um jovem rebelde e sem propósito é fácil e confortável, pois causa a ilusão de liberdade. Mas não passa de uma ILUSÃO.
A verdadeira liberdade é conquistada através do conhecimento.
Quero alunos que quando pequenininhos, não consigam ficar sentados por horas fazendo tarefas desinteressantes e enfadonhas.
Quero alunos que durmam nas aulas chatas e sejam exímios exploradores da vida real.
Quero alunos que não aceitem respostas prontas, mas que questionem, tenham dúvidas e sejam curiosos.
Quero alunos que não leiam apenas o capítulo do livro indicado pelo professor, mas que se rebelem e leiam o livro todo e ainda investiguem a biografia do autor para entender sua trajetória.
Quero alunos que rejeitem projetos planejados por seus professores, mas que encontrem caminhos para desenvolver projetos muito mais complexos e interessantes.
Quero alunos que encarem desafios ao invés de resmungar e busquem a solução.
Quero alunos que não se contentem com sua própria mediocridade, mas que sejam determinados em alcançar o seu melhor, com excelência.
Para refletir, deixo uma fala de Mario Sergio Cortella: Não é o melhor do mundo. É o teu melhor, na condição que você tem enquanto não tem condições melhores para fazer melhor ainda. Pergunto de novo, você está fazendo o teu possível ou o teu melhor? Porque se eu, podendo fazer o meu melhor, me contento com o possível, eu caio num lugar perigoso chamado ‘mediocridade’. Uma pessoa medíocre é aquela que é morna. Que está na média. Que não é quente e nem fria. Lembra quando você chegava da escola com o boletim escrito: 6,0 em português, 5,5 em matemática, 4,0 em história… e você dizia: ‘deu pra passar’. Medíocre - Isso é mediocridade. Porque uma pessoa medíocre é aquela que podendo fazer o seu melhor, se contenta em fazer só possível. Mediocridade é a falta de capricho. Capricho é você fazer o teu melhor, na condição que você tem, enquanto você não tem condições melhores para fazer melhor ainda.
Quero alunos que, podendo fazer o possível, façam o seu melhor.

PS: Este texto foi inspirado em uma postagem do Prof Nilbo Nogueira (referência em Pedagogia dos Projetos): “Esta é a cena do filme VALENTE, que nossa colega Gi Carvalho mencionou na Live realizada e postada hoje em nosso grupo. O objetivo é levar para sala de aula um outro tipo de “princesa” é trabalhar com um novo padrão e posicionamento da mulher na sociedade atual.”
"Que nada nos limite, que nada nos defina, que nada nos sujeite."  [Simone de Beauvoir]

“Essa é Merida, aquela que é dona e quer ser dona de sua própria mão, de sua própria vida e de seu próprio destino.” [Gi Carvalho]

Imagem - fonte: https://www.amazon.de/Merida-Legende-Highlands-Walt-Disney/dp/B007YFMZDO

Comentários

  1. Boa tarde Tina! Obrigado por seus textos. Sao enriquecedores...

    ResponderExcluir
  2. Grata surpresa a desta manhã, querida amiga.
    Mas é preciso divulgar mais intensamente os teus textos.
    A Internet está repleto de fake news pedagógicas... É preciso ocupar espaço com artigo como aqueles que disponibilizaste neste blog.
    Precisamos de ti, nuns projetos em que este velho professor está envolvido.
    Precisamos conversar. Poderemos fazer um Skype?
    Abraço fraterno!
    José

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querido Prof José Pacheco - SAUDADE!
      Fico grata por seu comentário e também ando alerta com as fake news pedagógicas, não só em forma de posts, mas sendo vendidas como boas práticas.
      Sim, podemos fazer um Skype. Irei lhe enviar um e-mail.
      Gratidão!

      Excluir

Postar um comentário